Ok, galera, depois de um tempinho de hibernação criativa (eu só escrevo quando estou com saco), vosso “James B” está de volta, dessa vez pra falar de um assunto que nunca me desceu pela goela. A WSL.

Para os leitores que não sabem, a WSL surgiu a partir da tomada de controle por um grupo de investidores da antiga ASP (Associação dos Surfistas Profissionais), a entidade que realizava o circuito mundial e que comandava o surf profissional por mais de 30 anos. A ASP estava em dificuldades financeiras, pois os eventos e o Tour eram bancados basicamente pela tríplice irmandade: Quiksilver, Billabong e Rip Curl, que patrocinavam 90% dos eventos a cada ano. Mas com a crise financeira que abalou as marcas, ali por volta de 2010 em diante, a grana estava sumindo e a ASP não se sustentava mais. Aí aparece a WSL e toma o negócio sem gastar nenhum tostão! Assumiram, tomaram, e a antiga ASP entregou a parada de mão beijada.

Ok, até aí tudo bem. Mas vamos em frente…

Primeiro: de quem é e quem manda na WSL? A empresa se chama ZoSea, e o principal acionista se chama Dirk Ziff, um bilionário americano. O cara está botando milhões no negócio desde o takeover.

Mas, caros leitores, sabem quem estava lá em 2012, na reunião que marcou a troca de comando do surf, e que era o porta voz da ZoSea? Um cara chamado Terry Hardy. Já ouviram falar nele? A maioria de vocês, não. Mas eu digo pra vocês quem ele é. É o empresário de longa data do nosso querido 11x campeão mundial, Kelly Slater! Isso mesmo. O porta voz da ZoSea na tomada de poder do surf mundial foi o empresário do Slater. Será que ele caiu de paraquedas? Coincidência? Eu acho que não.

Na minha humilde opinião, o Slater esteve e está por trás do negócio o tempo todo, usando o dinheiro do Ziff e sendo um sócio escondido ali, caladinho. Ainda no campo das “coincidências”, alguns anos depois a WSL adquiriu (por uma grana não revelada) os direitos da piscina de ondas do careca. Sei… e continuando com as coincidências, é cheio de amigo do Slater trabalhando na WSL. Por exemplo, o voz estridente Strider Wasilevski, o parcial Kieren Perrow, etc. Agora, só falta o Raimana Bastolear no lugar do Renato Hickel.

Ok, mas a WSL assumiu o surf profissional prometendo revolucionar o Tour e levar o surf a um novo patamar global de audiência e grana.

A pergunta para a reposta: E o que aconteceu em 4 anos? Bem, acho que realmente as transmissões online melhoraram muito.

Mas e o restante?

CAIXA PRETA? TEORIA DA CONSPIRAÇÃO?

Uma coisa que eu não aceito: A WSL é uma caixa preta. Zero transparência, e como entidade que rege o esporte, isso não poderia acontecer. A WSL é uma empresa, visa o lucro. E como tal, o que impede os desvios de conduta? O que impede que os interesses corporativos direcionem decisões, resultados ou até o julgamento? Amigos, não se iludam, dentro do palanque e nas salas onde as decisões são tomadas, muita coisa acontece e nem eu nem vocês ficamos sabendo de coisa alguma.

John John ergue o caneco em Portugal, conquistando antecipadamente seu primeiro título. Valeu? Você que o diga, caro leitor. Foto: WSL

E nem me venham com conversa mole de que o título mundial 2016 do John John Florence não foi facilitado em diversos momentos. Por que foi. O padrasto e técnico do Medina, Charles Saldanha, não aguentou mais, perdeu o controle com a coisa em Portugal, e adivinhem: 6 meses de suspensão.

E para os que não defendem teoria da conspiração e falam coisas como: “Ah!! Mas se a WSL fosse parcial, Medina e Adriano não teriam sido campeões mundiais.” Na minha visão, Medina e Adriano foram campeões mundiais “apesar” da parcialidade na WSL. Mas isso é assunto para outro artigo.

Voltando ao tema: além disso, a WSL nunca permitiu a livre expressão dos atletas. Você não assiste basicamente nenhuma polêmica, rivalidade, até as entrevistas após as baterias ficaram robotizadas. Todos tem medo de falar, se expor e sofrer penalizações.

E me entendam: eu gosto do lado profissional do esporte. Mas não aceito a maneira que a WSL, aparentemente, controla e manipula comissão técnica, mídia e surfistas. A ideia dos caras é empacotar a parada de uma forma linda, que seja bem suave, palatável e vendável para patrocinadores de fora do surf. Mas “peraí, cumpadre”! Desde quando o surf e o surfista é suave, palatável e lindinho? Nós não éramos o esporte da rebeldia?

E ainda digo mais. Tentar padronizar e controlar o que os atletas falam ou escrevem é um tiro no pé da WSL. Polêmica, discussão e controvérsia vendem muito bem. Atraem audiência e poderiam sim, atrair patrocinadores.

Ano passado, em Trestles, após baterias como a infame Tanner Gudauskas x Gabriel Medina – assista acima (na qual, na minha opinião, o título mundial do John John começou a ser definido), alguns atletas tentaram levantar a voz contra o julgamento parcial. Mas aí entrou em cena o fantasma das multas, suspensões e perseguição, que rapidamente calou todo mundo. Lei do medo! E, apenas para lembrar vocês… Sabem quem foi o único surfista do Tour que saiu em defesa do julgamento daquela bateria safada? Mr. Kelly Slater. Sim, o careca estava lá e rapidinho veio a campo pra defender os interesses do negócio dele.

Onde estão as melhorias no julgamento? Cadê o básico? Porque não começar com os juízes e o head judge, talvez não saberem que nota um surfista precisa pra virar uma bateria? Será que ficaria menos parcial?

E, muito importante: a WSL ainda não se viabilizou financeiramente. O Tour ainda não se paga. Na verdade dá um prejuízo milionário anualmente e só sobrevive graças à grana que a ZoSea e Dirk Ziff continuam a injetar. Mas até quando?

Lembrem-se, a WSL banca o World Tour masculino e feminino, o Longboard e o Big Wave Tour. E ainda mais o QS (que é problemático). Conclui-se então, que são dezenas de eventos por ano, e isso custa uma fortuna.

E AGORA?

Más notícias. No início de 2017, Paul Speaker, CEO da WSL, pediu demissão. Abandonou um barco que parece estar furado. Mas, só quem é das internas realmente sabe qual será o futuro próximo.

E, agora, em cima da hora, às vésperas de começar o circuito deste ano, a Samsung (afundada até os ossos em corrupção), principal patrocinador do circuito até 2016, anuncia que não renovará seu contrato com a WSL. Ou seja, neste momento o tour está sem um patrocinador principal.

E agora, Mr. Slater?

Tomara que em março os ciclones da Gold Coast tragam, além de boas ondas em Snapper Rocks, boas notícias para nós que amamos o surf competição – na abertura do Tour Caixa Preta 2017.

Vamos continuar de olho!


POST SCRIPTUM / ESCRITO DEPOIS

 PS1: Eu não sou jornalista, então geralmente escrevo textos longos demais para formatos de internet. Tentei segurar a onda e ser o mais sucinto possível nessa coluna. Mas dava pra escrever mais umas 5 páginas… hahaha!

PS2: Obrigado, Revista Hardcore, tamojunto!

  • Gabriel Leite

    Cara, posta ai as 5 páginas, pq acabou muito rápido aqui hahahha muito bom! assunto interessantíssimo! valeu!!

    • James B

      KKKK! legal, brother. Se a Hardcore topar, eu amplio a coluna. Não falta assunto.

      • Tubaldo Tubalino

        a coluna devia ser uma obra conjunta do James com o baitola do caveira…

  • Thiago Nery

    isto!

  • Tubaldo Tubalino

    Aquela semi de Teahupoo também foi dose…

    • James B

      Isso mesmo. E ainda teve a bateria com o JFlo em portugal, and the list goes on.

    • Felipe Serra

      Concordo, virou na menor onda da bateria, escandaloso.

  • Alysson Griebeler

    Interessante. Agora vou ficar mais ligado nesse assunto

  • CMG

    James, tenho maior respeito por vc, mas tem alguns equivocos no teu artigo.
    1)duvido que a ZoSea tá botando essa grana q vc imagina. Os caras são ligeiros, estão tentando cozinhar o porco com a própria banha. O Paul Speaker se ligou rápido q nao vai dar retorno e caiu fora.
    2) O Slater que fez o deal, como não vai levar a comissão dele? O cara levou a parte dele em ações. Qual o problema disso??? Pelo amor de Deus, não tenha essa mentalidade tupiniquim de ver o lucro como o pecado da usura.
    3) O Charles Medina tinha que ser suspenso pq ele fala muita besteira e se comporta mal pra caramba. Cada vez q o Charles fala merda do Mineiro, dá vontade de dar um soco na cara dele. O Mineiro é quem mais representa o povo brasileiro, veio da favela, pequeninho e enfrenta todos os gigantes e vence!!!!!!
    4) O Medina só foi um campeão mundial pq é um genio fora da curva como nunca houve na história do surfe, isso dito por todos, Slater, Hobgoods, Parko etc. O unico surfista da historia que aprendeu a surfar Pipeline na primeira caída foi o Medina, nunca ninguem fez isso. Veja o 5o que ele conquistou em 2011 no PipeMaster. O Charles tem q baixar a bola dele e deixar o Medina trabalhar.

    • João Raja

      Fala ae james b! Cara, sempre te achei um chato, mas agora você se redimiu! Hahaha!!!
      Parabéns pelo texto, gostei muito, de verdade, espero que você e a hardcore publiquem mais a respeito. Abs

      • James B

        Hahaha!!! eu sou chato mesmo. Mas sou boa gente

    • James B

      Amigo, a ZoSea (leia-se o Dirk Ziff) está botando dinheiro sim. E é muito! Um exemplo: há vários eventos do CT que não tem patrocinador local, como alguns QSs tem. Olha só, até hoje a WSL não pagou a premiação e custos do WQS de Saquarema de 2015! Aliás, já há uns rumores na Califórnia sobre uma redução de custos geral no Tour pra 2018.

      E sobre o Slater, eu não vejo problema em ele ganhar comissão. Aliás, não faço sequer referência a isso no meu texto. O que me incomoda é o conflito de interesses e manipulação que a presença dele como sócio oculto provocam. E eu concordo contigo sobre as posturas do Charles, ele definitivamente exagera em alguns momentos.

      • Walvio Golmia Junior

        Inclusive o Heitor Alves postou que estava indo embora da Austrália por não ter recebido da WSL as premiações das competições do QS, vergonhoso

      • Adrian Lucas Xavier

        Ma o KS interfere sim em restaurants foram perguntar pra ele se o campeonato teria ou nao seguimento nas condições … o voto de minerva foi dele !! o cara se banca nas viagens sem patrocinio de bico só com uma loja de roupa que vi a propaganda só uma vez e depois sumiu!!

    • RaunySurf

      O que o Charles falow sobre o Mineiro???

      • CMG

        assiste o programa do Medina no Off, ele tá sempre falando merda do Minero. Isso, para mim, é imperdoável. O Minero é uma instituição no surfe brasileiro. Mexeu com ele, mexeu com todos.

  • Sergio Toró

    Ae, se tivesse mais 5 paginas eu leria com prazer…. Belo texto….M no ventilador…. doa a quem doer…

  • Nino

    James, muito boa materia ! alias, parabens por trazer aa luz da comunidade as dificuldades que passa o nosso esporte.

    e quero acrescentar mais para sua materia:

    1. o dominio americano/australiano no surf eh historico porem nao gerou frutos financeiros. se a WSL quer ganhar dinheiro, tem que se tornar global. e ai, repentinamente vemos AdS e GM serem campeoes mundiais, vemos surfistas surgirem de lugares inusitados: alemanha, italia, irlanda. e retorno desse esforco demora. porem, nao tenho duvida que seja estrategia. GM e AdS mereceram o titulo ? ou foi dado a eles apenas para satisfazer um anseio de expansao global ? o ovo ou a galinha ? (pessoalmente acho que os dois mereceram e muito).

    2. eu penso positivamente em relacao ao futuro do surf competitivo. o curralzinho da cultura do surf acabou. aquela ideia que surfista eh surfista e quem nao eh surfista nao eh surfista se dissipou. todo mundo quer se divertir nas ondas e 99,99% da populacao nao quer ser surfista profissional de verdade. querem apenas curtir as ondas, tomar umas vacas de vez em quando, contar mentira pros amigos e amigas…. e ai, quando rolar uma etapa, acompanhar no celular enquanto ta no trampo. o resultado ? minha filha nao surfa mas adora a cultura do surf. soh se veste de marca de surf. adora uma praia. adora ficar deitada numa prancha na agua pegando sol. e quem nao gosta ?

    3. e continuando o item 2, perdeu Samsung ? virao outros !!! cerveja e carro e talvez outra marca de celular e refrigerante e bebida energetica e vitaminas e shampoo e protetor solar….. a verdade eh que tem que correr atras desses patrocinios PROFISSIONALMENTE. e pra isso, precisam de profissionais da area. qual surfista profissional que NAO USA cartao de credito internacional ??? e pq um cartao de credito nao patrocina uma etapa ??? as oportunidades sao gigantes. e a competencia ? a falencia da WSL ta me parecendo mais incompetencia do que qualquer outra coisa.

    4. transparencia – os surfistas tem que se juntar e lutar por isso. e apenas isso. simples. eh um esforco diario. nao tem segredo.

    abraco e continue escrevendo !

  • Henry Teixeira

    O Slater no programa do medina, se eu não me engano, declarou que talvez houve erro de julgamento ou alguma “força por trás” do resultado garfado de Trestles … ele não defendeu o resultado!!! foda que também aquela derrota do Medina na frança, naquelas esquerdinhas foi um mole inaceitável … pra toda teoria da conspiração existem 2 lados

  • Fabio Martins

    Continue mandando bronca, James! Acho que a galera aqui já falou por mim (fora uns 95% do seu texto), e apenas acrescento: esse vai ser o “ano de Jordy”, ou “a redenção de Fanning”, ou ainda “a promessa de Andino se concretizou”. Só que os cabras nunca contam com pelo menos três brasileiros com a faca nos dentes e força de um trator passando em cima (Medina, Mineiro e Toledo), bem como alguns outros brazucas arretados que ferram reputações (Ibelli, ítalo, Jadson…). Essa “lei do silêncio” realmente é o fim da picada, mas vejo até como positiva a punição ao Charles (ao menos teve aqtitude pra furar o silêncio), pois vai deixar o Gabriel fazer o que sabe como ninguém no tour atual… abraços e escreva mais por aqui!

  • Marcos Lima

    Falou tudo brother e tudo isso a semanas do início dá competição, vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos
    Parabéns pelo textão kkkk

  • Paulo Eduardo Antunes

    Sábias palavras, só não concordo em desmerecer o título do JJ Floence que não foi ganho em uma bateria polêmica/roubada como ocorreu também com o Medina quando foi campeão, também pelo seu mérito e não por aoenas 1 resultado. Nos últimos 3 anos, o único campeão mundial livre de tretas e inquestionável foi o Mineirinho…

    • Felipe Serra

      Na minha humilde opinião o JJF não venceu o Medina na semifinal em Teahupo. Pra mim a onda que JJF virou era muito pequena se comparada às demais ondas surfadas na bateria.

  • Davidson F Antonio

    Todos os esportes tem suas ligas e federação que fazem as mesmas coisas , no campo do esporte o problema é a manipulação das notas o que modifica todo o resultado.
    Nenhum atleta deve receber nenhum privilégio que não possam dar a todos.

    🙏👍🤘👊

  • Mauricio Teixeira Aguiar

    Sou capaz de apostar um dedo que o Slater só aposenta quando receber um “convite” para ser presidente ou CEO da WSL, ou outro cargo do gênero. Daí vamos começar a saber as verdadeiras intensões pro trás de toda história…