Foto de abre: Ethan Lovell, Liberia, 2015 | Texto: Alexandra Iarussi


Já ouviu falar da Waves For Water? A organização sem fins lucrativos, criada pelo ex-surfista profissional, Jon Rose, tem por missão levar água limpa para milhares de pessoas do mundo que não têm acesso a água potável.

No Dia Mundial da Água, HARDCORE conversou com Jon Rose, para saber mais sobre o programa e os planos futuros da organização. Confira:

“Iniciamos 105 programas em mais de 27 países. Foram implementados mais de 150 mil filtros, bem como sistemas coletores de água da chuva e a estimativa é de que tenhamos alcançado mais de 7 milhões de pessoas. Além disso, já coordenamos ações em lugares que sofreram desastres naturais, como terremotos na Indonésia, Haiti e Nepal; pós-tsunami no Japão, Paquistão, Brasil e até mesmo o furação Sandy nos EUA,” conta Jon Rose.

Waves For Water no Himalaia. Foto: Divulgação

Como surgiu a ideia dos filtros?
Meu pai se envolveu nessa história da água. Ele trabalhou na África desenvolvendo maneiras de captar água da chuva e ensinar as pessoas a fazê-lo, para que essas não precisassem andar milhas atrás de poços para obter água. Alguns anos se passaram e eu estava na transição da minha carreira de surfista profissional, e pensei, ‘poxa, consigo fazer isso também. Vi a necessidade de algo desse tipo em todos os lugares que surfei, e a Waves For Water nasceu desse ímpeto: percebi que poderia ir em todos os lugares que havia conhecido por meio do surf e retribuir em forma de ajuda.

Quando você decidiu que a vida de surfista profissional não era mais para você?
Passei 13 anos surfando e depois percebi que era hora de mudar o foco.

Filtros “em ação” no México. Foto: Ethanl Lovell

Quando você percebeu que essa história, a da Waves For Water, poderia realmente se tornar sua profissão?
Eu estava em uma boat trip pela Sumatra em setembro de 2009 quando percebi um leve tremor. Eu não fazia ideia, mas um terremoto de magnitude 7.6 havia destruído os arredores de Padang – deixando mais de 1000 mortos e 100 mil pessoas sem abrigo – até eu chegar em terra firme e ver a cidade devastada. Eu estava a caminho de Bali para entregar 10 filtros de água, para o que seria o primeiro projeto da Waves For Water. Não era para ser um trabalho, apenas um projeto que eu tocava em paralelo com meu amor ao surf. Mas ao ver a tragédia em Sumatra, fui para Padang para entregar os filtros para aqueles que mais precisavam. Essa ação foi um momento polarizador na minha vida e foi ali o começo da Waves For Water.

Você é otimista a respeito do futuro da humanidade? 

Sim. O que eu adoro ressaltar e lembrar é de pensar nisso como um desafio de maneira descentralizada – como um grupo, movimento viral, podemos solucionar problemas… e durante nossa vida, não em mais tempo do que isso.

Quais os objetivos futuros?
Queremos garantir acesso de água limpa para quem precisar. É difícil dizer que vamos de fato alcançar isso, mas nossa estrutura organizacional e trabalho são assentados nesse pilar, o de tenta levar água limpa para o máximo número de pessoas possível.

Há mais alguma novidade?
Sim, o Programa de Mensageiros da Waves For Water (nosso esquema de voluntariados) – nosso maior foco no momento. A ideia não é que uma pessoa distribua 100 filtros em um dia e pronto. Em vez disso, queremos pegar, por exemplo, 100 mil viajantes – e cada um leva 10 filtros em sua mochila. A intenção é que esse se una com grupos para implementar projetos com filtros maiores para uma vila inteira, por exemplo. Se isso acontecer em escalas maiores, as estatísticas sobre a crise de água no mundo mudarão radicalmente e para melhor, assim, estaremos mais perto de chegar ao nosso ideal de projeto.

Para saber mais sobre a Waves For Water, clique AQUI.

Clique AQUI e assista ao doc sobre Jon Rose e a Waves For Water exibido pela Red Bull TV.