Os brasileiros seguem firmes na busca por mais títulos nesse setembro dourado de vitórias nos circuitos mundiais da World Surf League, tentando manter em Portugal uma invencibilidade de quatro etapas seguidas do Qualifying Series. Silvana Lima ganhou a última do Championship Tour e já está disputando vaga para as quartas de final no Cascais Women´s Pro. O evento acontece junto com QS 10000 EDP Billabong Pro Cascais em Estoril e seis brasileiros passaram para a rodada classificatória para as oitavas de final na quinta-feira. Outros cinco ainda vão disputar vagas nas baterias restantes da terceira fase, que ficaram para abrir a sexta-feira, como o defensor do título dessa etapa e líder do QS, Jessé Mendes.

A quinta-feira começou com a continuação da oitava das dez etapas do CT feminino, com duas eliminações surpreendentes no início do dia. As condições do mar estavam difíceis, com ondas de 4-6 pés na Praia do Guincho e duas concorrentes ao título mundial perderam. A atual campeã, Tyler Wright, foi batida pela convidada do Cascais Women´s Pro, a portuguesa Teresa Bonvalot, por um baixo placar de 9,50 a 7,23 pontos. E a hexacampeã, Stephanie Gilmore, saiu no duelo seguinte, por 12,27 a 11,00 para a sul-africana Bianca Buitendag, que está substituindo Laura Enever na etapa portuguesa em Cascais.

Embalada pela vitória espetacular no Swatch Pro Trestles, Silvana Lima estreou batendo todos os recordes das meninas no primeiro dia. Ela conquistou a última vaga direta para a terceira fase somando 14,00 pontos, com a nota 7,67 da melhor onda surfada na rodada inicial do Cascais Women´s Pro. A top-6 do Jeep WSL Ranking, Johanne Defay, da França, ficou em segundo com 12,30 e a australiana Nikki Van Dijk em terceiro com 11,30.

Na quinta-feira, Silvana não achou boas ondas para mostrar o seu surfe e ficou em terceiro na segunda disputa por vaga nas quartas de final. A bateria era dura, contra a mesma adversária que enfrentou na final em Trestles, Keely Andrew, e a também australiana Sally Fitzgibbons, que está competindo com a lycra amarela do Jeep WSL Leader em Portugal e venceu por 12,56 pontos. A brasileira tem outra chance de classificação na quarta fase, contra mais uma surfista que derrotou na Califórnia, Lakey Peterson, nas semifinais.

Além de Sally Fitzgibbons, a também australiana Nikki Van Dijk e as havaianas Carissa Moore e Tatiana Weston-Webb, passaram direto para as quartas de final. Com as derrotas de Tyler Wright e Stephanie Gilmore em último lugar no Cascais Women´s Pro, a briga pelo título mundial fica mais concentrada em Sally Fitzgibbons e Courtney Conlogue nesta reta final da temporada. A norte-americana ainda vai ter que disputar a última vaga para as quartas de final com a compatriota Sage Erickson na repescagem.

QS 10000 DECISIVO – Para os homens, no EDP Billabong Pro Cascais Pro não tem segunda chance, perdeu, está fora. E esta etapa que fecha a perna europeia é decisiva, a última com status máximo QS 10000 antes das duas que abrem a Tríplice Coroa Havaiana na ilha de Oahu. Os brasileiros vêm numa série impressionante de quatro vitórias seguidas nas etapas disputadas em setembro e seguem firme na busca por mais um título em Cascais.

Entre os oito que competiram nas apenas oito baterias realizadas na quinta-feira, seis avançaram para a rodada classificatória para as oitavas de final e outros cinco estão nos três confrontos que vão fechar a terceira fase. Os seis passaram em segundo lugar nas suas baterias, começando com os paulistas Alex Ribeiro na primeira e Deivid Silva na terceira, os potiguares Italo Ferreira na quarta e Jadson André na quinta, depois os catarinenses Willian Cardoso e Tomas Hermes nas duas últimas do dia.

BRASIL NO G-10 – Willian e Tomas estão defendendo vagas na lista dos dez surfistas que o ranking do QS classifica para disputar o título mundial na elite dos top-34 da World Surf League. Jessé Mendes e Yago Dora já são duas novidades confirmadas na “seleção brasileira” do ano que vem. O cearense Michael Rodrigues era o quinto do ranking, mas ele e Yago perderam em suas estreias em Portugal, no entanto não saem do G-10 em Portugal. E a invasão brasileira pode aumentar, pois o paulista Alex Ribeiro e o catarinense Alejo Muniz estão bem próximos da zona de classificação.

Ambos saíram da elite no ano passado e Alejo vai competir junto com Miguel Pupo na penúltima bateria da terceira fase, contra o australiano Ryan Callinan e um integrante do G-10, o sul-africano Michael February. Eles iniciam a disputa por duas vagas logo após outra participação dupla do Brasil, com Jessé Mendes e Caio Ibelli enfrentando o americano Nat Young e o australiano Jackson Baker. Já a grande surpresa do evento, o jovem Mateus Herdy, está na bateria que fecha a terceira fase com dois concorrentes diretos do G-10, o americano Griffin Colapinto e o australiano Cooper Chapman, além do havaiano top do CT, Ezekiel Lau.

VAGAS NAS OITAVAS – Na quarta fase, até agora apenas uma bateria terá dois brasileiros disputando classificação para as oitavas de final, a quarta, com os potiguares Italo Ferreira e Jadson André entrando como favoritos contra o jovem australiano Kalani Ball. Deivid Silva está na primeira com Stu Kennedy (AUS) e Cam Richards (EUA) e Alex Ribeiro na segunda com dois tops do CT, Kanoa Igarashi (EUA) e Joan Duru (FRA), assim como os dois catarinenses que ainda aguardam o terceiro adversário, Tomas Hermes com o português Frederico Morais na quinta bateria e Willian Cardoso na sexta com o italiano Leonardo Fioravanti.

Tomas e Willian estrearam juntos e fizeram uma dobradinha catarinense numa bateria 100% verde-amarela na segunda fase, contra o baiano Marco Fernandez e o carioca Lucas Silveira. Na disputa seguinte, entraram três paulistas com Leonardo Fioravanti e o italiano venceu. Na briga pela segunda vaga, Victor Bernardo superou David do Carmo e Flavio Nakagima. Victor teve que fazer o mesmo na quinta-feira, mas Willian Cardoso levou a melhor no confronto vencido por Frederico Morais e ele terminou em 25.o lugar no QS 10000 de Portugal.

Com as classificações, os dois catarinenses ganharam uma posição no G-10. Tomas Hermes estava em sexto e já aparece em quinto lugar, enquanto Willian subiu de nono para oitavo, ultrapassando o francês Jorgann Couzinet na zona de perigo. Também buscam um resultado importante em Cascais, alguns tops que tentam se manter na elite pelo ranking de acesso, como Caio Ibelli, Italo Ferreira, Jadson André e Miguel Pupo. Destes, só Jadson e Pupo tem chances de entrar no G-10 nesta etapa e já precisando ser finalista para isso.

O Cascais Women´s Pro e o QS 10000 EDP Billabong Pro Cascais estão sendo transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com.

VIA JOÃO CARVALHO / WSL