Ele fez de novo. Lembram da campanha de Yago Dora no Oi Rio Pro em 2017? O então wildcard eliminou, na sequência, John John Florence, Gabriel Medina e Mick Fanning. Três campeões mundiais, um deles detentor do título e da camisa amarela. Em 2018, algo parecido já está em curso. Depois de superar o camisa amarela Ítalo Ferreira, Yago eliminou o atual bicampeão mundial John John nesta quarta-feira (16), em esquerdas de quatro pés na laje de Itaúna.

Yago se juntou a outros três brasileiros nas quartas de final do Oi Rio Pro: Filipe Toledo, Michael Rodrigues e Gabriel Medina. Ao contrário de um figurão, o adversário do catarinense nas quartas será Ezekiel Lau, havaiano de credenciais mais modestas que JJF ou Ítalo.

As quatro baterias da quarta rodada do masculino foram para a água depois do R3 feminino.

Filipe Toledo foi o primeiro a se adaptar à nova realidade do outside: esquerdas volumosas e de séries espaçadas, ao contrário do bombardeio de direitas tubulares da Barrinha. Emendou uma pancada atrás da outra para disparar na frente com um 8,33 e então finalmente entregou o que se esperava dele: um aéreo rodando, cobrindo uma extensão horizontal inédita no circuito esse ano, resultado da velocidade acumulada na linha alta na parede da onda.

Giro completo no ar. Aterrissagem suave no flat. Agradecimentos ao público. Nota 10 sem espaço pra contestação. Somado à primeira onda, melhor média do campeonato até agora.

Michel Rodrigues acertou o feijão com arroz e garantiu o segundo lugar. Ian Gouveia, que tanto pedira pelas esquerdas, caiu na manobra que ia fazer sua onda mediana receber uma nota excelente. Nono lugar.

Julian Wilson, Kolohe Andino e Kanoa Igarashi fizeram um confronto de menos ondas surfadas que na primeira bateria. Julian, primeiro, e Kolohe, segundo, conseguiram ler melhor as sessões de Itaúna colocar com mais precisão as manobras.

Medina completou umas decolagens tímidas e caiu nas mais ousadas. Não teve problemas para se manter em primeiro. Zeke Lau e Sebastian Zietz, dessa vez sem tubos mágicos enviados do além em seu socorro, completaram um dia de apresentações tímidas até aquele momento.

Yago Dora decolou um pouco mais limpo que Gabriel, para limitar a comparação aos goofies. Com a exceção do absurdo Filipinho, foi o melhor surfista entre os homens em Itaúna.

Wade Carmichael foi o co-responsável pela eliminação de John John e pela melhor cena do dia. O australiano passou anos sofrendo no QS e sabe que o surf competitivo é seu ganha pão. Assim, mesmo com toda aquela pinta de soul surfer, impregnou feito sarna no havaiano nos últimos minutos de bateria. Netuno ajudou e não mandou nada em que surfista qualquer no mundo conseguisse espremer algo maior que um seis.

O pareamento das quartas de final colocou cada um dos brasileiros em uma bateria diferente. Se todos vencerem, teremos uma semifinal 100% nacional: Filipe x Michael, Gabriel x Yago. Apenas uma possibilidade…

Resultados do Oi Rio Pro – R4 masculino:

1. Filipe Toledo 18,33, Michael Rodrigues 10,94, Ian Gouveia 8,00
2. Julian Wilson 12,73, Kolohe Andino 11,90, Kanoa Igarashi 9,43
3. Gabriel Medina 11,84, Ezekiel Lau 9,73, Sebastian Zietz 9,00
4. Yago Dora 13,94, Wade Carmichael 11,40, John John Florence 8,00

Baterias das quartas de final:

1. Filipe Toledo x Kolohe Andino
2. Julian Wilson x Michael Rodrigues
3. Gabriel Medina x Wade Carmichael
4. Yago Dora x Ezekiel Lau