Homens entraram na água pela primeira vez nesta segunda-feira (14) no Oi Rio Pro. A estrutura do evento foi deslocada durante a noite para a Barrinha, onde boas direitas deram as caras durante todo o dia. Foram realizadas toda a primeira rodada e as seis primeiras baterias da segunda, com os primeiros surfistas dando adeus à competição.

Ian Gouveia foi o grande destaque. Venceu sua primeira bateria em 2018 com o melhor somatório do dia e passou a liderar com folga o ranking de melhor entrevista concedida no ano.

Ian, você acabou de eliminar o atual campeão da etapa, como você está se sentindo?

Não sei, ao mesmo tempo que estou feliz eu estou bem desapontado. A gente só surfou direitas o ano inteiro até agora. A casa que eu estou aqui em Saquarema é na frente de Itaúna e eu vi umas esquerdas rolando de manhã. Achei que dava pra fazer lá. Os primeiros três campeonatos foram em direitas, os próximos dois vão ser em direitas também. Eu não queria surfar para a direita de novo. Eu tava tão mal que a minha primeira bateria ia ser em uma direita de novo que eu nem conseguia pensar em nada. Eu quero ir para a esquerda!

— E como é surfar em casa, com seu pai, sua mãe, sua esposa, sua filha, toda a família perto, seu treinador também, isso deve ser muito especial né?

É muito legal… EU QUERO SURFAR MAIS ESQUERDAS!

Ian Gouveia fez 15,53 pontos na quarta bateria do round 2, contra 11,83 de Adriano de Souza. Mikey Wright (melhor média no R1), Gabriel Medina (2ª melhor média no R1) e John John Florence (melhor single score – 9,10) foram os outros destaques.

WILDCARDS FAZEM ESTRAGO

Cinco surfistas que não fazem parte da elite em 2018 foram escalados no Oi Rio Pro, e três deles se garantiram na terceira rodada. Miguel Pupo foi o primeiro, ao derrotar Jordy Smith e Tomas Hermes na segunda bateria do dia.

Mikey Wright foi o segundo. John John Florence pegou um bom tubo e selou uma junção no momento crítico para fazer o melhor score do dia. Mas a combinação de notas do australiano foi melhor e ele chegou à segunda vitória no ano sobre JJF. Eles se enfrentarão novamente no round 3 do Margaret River Pro, em Uluwatu. Joan Duru foi o outro despachado ao round 2 nessa bateria.

O terceiro foi Alejo Muniz. Alejo fez uma boa bateria no round 1, mas ficou atrás de seus amigos Medina e Jessé – mais mérito deles. No round 2 não houve chance. A vítima foi Owen Wright, que amargou seu primeiro 25º lugar na temporada.

Jordy e John John não cometeriam o mesmo erro duas vezes. Eles despacharam, respectivamente, Wiggolly Dantas e Deivid Silva, os outros dois wildcards.

RAPIDINHAS

FAVORITOS SE GARANTEM Filipe, Medina, Ítalo e Julian venceram todos no R1 e sem precisar mostrar sua principais armas. Apenas Julian descolou um reversezinho tímido que nem entrou para o somatório.

YAGO & PANDA A dupla de rookies de Santa Catarina mantém a bom forma. Ambos estão vivos ainda no evento de Margaret e ambos venceram sua bateria no primeiro round em Saquarema, economizando energia e o stress de competir no R2.

KOLOHE & GRIFFIN DECOLAM Os dois californianos sim precisaram recorrer aos aéreos para vencer suas abterias inaugurais. Os dois reverses limpos e em sessões “que importam” (Griffin na junção, Kolohe na primeira sessão) de ondas medianas valeram, sozinhos, notas acima dos sete pontos – entrariam para o somatório que qualquer surfista.

CAPITÃO COMEÇA MAL A exceção entre os favoritos foi Adriano de Souza. Ele está vivo no Margaret River Pro, mas os três resultados que tem até agora fazem deste começo de temporada o seu pior nos últimos 10 anos. Desde 2009, o guarujaense chegou ao menos duas vezes nas quartas de final nas primeiras quatro etapas do ano. Em 2018, seu melhor resultado até agora é o 9º na Gold Coast. Tudo tranquilo: ainda não chegamos na metade do ano e Mineiro já foi campeão em três das etapas que ainda estão por vir. Mas vale ligar o sinal de alerta.

O campeonato deve recomeçar amanhã (terça, 15), às 7 horas, em Itaúna, onde tudo indica que boas esquerdas estarão rolando – pode comemorar, Ian.

(mais fotos em breve!)

Oi Rio Pro – resultados do round 1:

1. Filipe Toledo 13,70, Kanoa Igarashi 13,07 e Ian Gouveia 9,73
2. Miguel Pupo 13,10 Jordy Smith 12,66, Tomas Hermes 8,23
3. Wade Carmichael 12,60, Owen Wright 11,26 e Wiggolly Dantas 11,17
4. Mikey Wright 14,83, John John Florence 13,93, Joan Duru 10,93
5. Gabriel Medina 14,17, Jessé Mendes 13,43 e Alejo Muniz 12,86
6. Julian Wilson 12,93, Deivid Silva 10,30 e Patrick Gudauskas 8,83
7. Ítalo Ferreira 10,64, Connor O´Leary 10,47 e Keanu Asing 10,36
8. Griffin Colapinto 11,60 Michael February 11,47 e Adriano de Souza 11,60
9. Yago Dora 12,13, Michel Bourez 10,67 e Conner Coffin 2,87
10. Ezekiel Lau 13,60, Adrian Buchan 12,30 e Sebastian Zietz 10,57
11. Willian Cardoso 11,16 Matt Wilkinson 9,60 e Jeremy Flores 9,30
12. Kolohe Andino 13,40, Frederico Morais 11,76 e Michael Rodrigues 7,00

Resultados do round 2:

1. John John Florence 12,24 x 10,84 Deivid Silva
2. Alejo Muniz 10,57 x 10,40 Owen Wright
3. Jordy Smith 12,70 x 9,94 Wiggolly Dantas
4. Ian Gouveia 15,53 x 11,83 Adriano de Souza
5. Keanu Asing 9,77 x 9,66 Michel Bourez
6. Adrian Buchan 12,63 x 3,96 Michael February

Baterias remanescentes do round 2:
7. Matt Wilkinson x Michael Rodrigues
8. Frederico Morais x Patrick Gudauskas
9. Jeremy Flores x Jessé Mendes
10. Sebastian Zietz x Joan Duru
11. Tomas Hermes x Conner Coffin
12. Connor O’Leary x Kanoa Igarashi