Texto Alexandra Iarussi

Faltam poucos dias para uma das etapas mais emocionantes do CT: o Billabong Pro Teahupo’o. A janela, tem início a partir de 11/8 e vai até dia 22 do mesmo mês.

O defensor do título é o 11x campeão mundial Kelly Slater (que ano passado venceu John John Florence na final), que dessa vez, por conta de um acidente durante um freesurf em J-Bay, está fora da etapa. Slater sofreu fraturas no pé e talvez fique de molho até final da temporada de 2017.

 


Enfim, vamos ao que interessa, a etapa do tubo mais largo do CT.
Todo mundo sabe que o que importa, realmente, em “Chopes”, é o tube riding. Quem pegar o melhor tubo, tira a melhor nota. O preço a ser pago é alto também, e no vídeo acima, divulgado pela WSL, os tops do CT dão dicas do que não se fazer em Teahupo’o.

“Apenas não esteja no lip,” simplifica o australiano Joel Parkinson. Na sequência, o líder do ranking, Matt Wilkinson, fala a mesma coisa, só que com outras palavras: “Quando a onda quebrar aqui (indica com a mão), não esteja aqui (onde quebra o lip)”.

“Não vá para a direita, nem vá nas fechadeiras,” lembra, com humor, John John Florence, atual segundo colocado no ranking da WSL.

“Apenas certifique-se de que você não fará parte do lip,” frisa Parko novamente.

Já deu para perceber que fugir do lip é um tema em comum quando falamos de pegar as bombas em Chopes. Enquanto o evento não começa, relembre os melhores momentos do dia final da etapa em 2016:

Clique aqui e confira os confrontos do Round 1.