A Guerra Fria das piscinas de ondas começou. No sábado, enquanto o mundo (ou parte dele) testemunhava os primeiros shots de tequila da equipe australiana na Founders Cup, a BSR Cable Park divulgou o primeiro vídeo das ondas artificiais e aparentemente perfeitas geradas em suas dependências. A onda funciona com uma tecnologia diferente da que é empregada no Surf Ranch e é uma criação da empresa American Wave Machines.

Jamie O’Brien, que já queimou publicamente um livro de regras da ASP (mas sempre participa dos eventos em Pipe…), foi um dos surfistas consultados durante o desenvolvimento da onda. O que deixa um pouco mais claro todo o lance da concorrência e do timing de sua divulgação, bem no dia mais importante do ano para sua rival. Cheyne Magnusson, que nunca frequentou partes expressivas de qualquer ranking, foi o outro consultor.

A previsão de abertura ao público ainda não foi confirmada, mas deve acontecer dentro de algumas semanas. O preço das sessões já foi divulgado: 60 dólares por uma hora de surf no pacote mais básico. Outros pacotes envolvem aulas para iniciantes, acomodação e até pernoite.

A WSL realizou no fim de semana seu primeiro campeonato oficial em ondas artificiais; a europeia Wavegarden, com piscinas no País de Gales e Espanha, segue com planos de expansão; na Austrália, um empreendimento promete um lago com ondas tubulares de até oito pés quebrando em quatro picos diferentes, com direitas e esquerdas; e, agora, mais uma concorrente entrou na briga.