Foi há exatos dez anos a última passagem da elite do surf mundial por Uluwatu. Com a notícia da volta do circuito à lendária esquerda balinesa, resolvemos lembrar como foi essa última aventura.

Em 2008, seis brasileiros estavam na elite: Neco Padaratz, Rodrigo Dornelles, Leo Neves, Heitor Alves, Jihad Khodr e Adriano de Souza. O Brasil não tinha um campeão de etapa desde 2002, com Neco, na França, e foi Bruno Santos que quebrou o incômodo jejum, logo em Teahupoo, levando tudo desde as triagens.

Taj Burrow, Bede Durbidge e Joel Parkinson disputavam o título com Kelly Slater (Fanning estava na ressaca da conquista no ano anterior) e figuras como Chris Ward e Michael Campbell ainda faziam parte do circo.

A sexta etapa daquele ano, o Rip Curl Pro Search (que todo mundo sabia onde era), foi vencida por Bruce Irons em sua única vitória como membro da elite. Bruce foi o melhor surfista de todo o campeonato e chegou a pegar uma rara direita na final contra seu amigo Fred Pattachia.

Tiago Pires e Wardo chegaram nas semis e nenhum brasileiro passou do round 3 – na época, uma 17ª posição. 

Confira abaixo algumas imagens do campeonato:

Adriano de Souza terminaria o ano de 2008 entre os top 10 pela primeira vez na carreira (Sean Rowland/WSL)

Andy Irons perdeu nas oitavas de final para seu companheiro de baladas Chris Ward (Sean Rowland/WSL)

Bruce Irons, sempre à vontade em esquerdas tubulares (Rowland/WSL)

Em 2008 Bruno Santos já era um dos melhores tuberiders do mundo (Rowland/WSL)

Chris Ward gostava mais da noite do que das baterias, mas vira e mexe arrumava um resultado bom. Surf não faltava (Rowland/WSL)

Tiago Pires, despencando no seco com a intimidade de quem pega tubo até enjoar todo inverno em Portugal (Rowland/WSL)

Pattachia, vice-campeão, e Bruce, campeão da última etapa da WSL em Uluwatu (Rowland/WSL)