HARDCORE #329 • JUNHO/17

Lapo Coutinho e Nicole Pacelli em Java; Mentawai high performance; Siebert; Surf no Alemão; Saquarema e mais!

Nesta celebração à Indonésia, Lapo Coutinho estampa a capa, fotografado por Diogo D’Orey. O big rider lançou-se para a ilha com Nicole Pacelli – namorados e companheiros de outside em mares pesados e tubulares.

A temporada continua nas Mentawai. Em sua primeira vez na região tomada por ondas perfeitas, o fotógrafo Ricardo Alves registrou uma boat trip high performance, com Michael Rodrigues, Jean da Silva, Marco Giorgi, Matheus Navarro, Ícaro Ronchi, Nic Von Rupp e Wallace Vasco.

E fique ligado no Prancha Mágica, para saber o quiver que Bruno Santos, tube rider e novo residente em Bali, preparou para aproveitar qualquer swell da temporada. Como esta onda abaixo, em Grower, no Quadro a Quadro desta edição.

Bruno Santos. Fotos: Diogo D’Orey

Ainda na Ásia, paramos no Oriente Médio para entender como o surf mudou a vida de Ali Kassem. Há dois anos, o garoto sírio de Aleppo fugiu da guerra na Síria, buscou refúgio no Líbano  e começou a pegar onda em Al Jyied.

Já no Brasil, o shaper Felipe Siebert conta os processos e bastidores de sua mais recente criação: uma prancha de surf de cortiça, sem quilha, nem laminação. Um modelo que garante a diversão pura que buscamos a cada onda.

Em Saquarema, nossos colaboradores Ryan Miller e Trevor Moran registraram as cenas mais performance e belas da passagem do Circuito Mundial pelo Rio de Janeiro.

No RJ, também conversamos com Wellington Cardoso, criador do projeto social que leva o surf – e, com isso, a cidadania – às crianças e jovens do Complexo do Alemão.

Nesta edição, também tem homenagens a John Severson e Jack O’Neill; Alma HC com Mateus Lee Harris; Mar…ina, com Marina Werneck; Polaroids, com Chloé Calmon; Lay Day por BrWax; P.90 com Heverton Ribeiro…

HC 329! Garanta a sua nas bancas ou assine aqui!

 

***


Por amor às ondas – texto e fotos de Diogo D’Orey

[…] Depois de uma semana ao lado de Lapo Coutinho e Nicole Pacelli em Java, eu posso dizer que eles têm algo bastante especial. No caso deles, não são os opostos que se atraem, mas sim as semelhanças. Lapo e Nicole amam viajar pelo mundo em busca de ondas gigantes, e isso por si só já é um achado. […]

 

***

Diário a Bordo – texto e fotos de Ricardo Alves

Desde muito novo, sempre tive o sonho de viver em um barco para surfar qualquer onda que desejasse. Isso se tornou realidade no último mês de abril. O amigo e proprietário do catamarã Sibon Baru, Ícaro Ronchi, me convidou para ser o fotógrafo de uma expedição que navegaria por doze dias nas ilhas Mentawai, com sete surfistas profissionais – a maioria meus parceiros.

Não tínhamos nenhum roteiro ou plano de ação. O objetivo era analisar ondulações, ventos, marés e procurar as ondas mais adequadas para condição de cada momento. A equipe era formada pelos atletas Michael Rodrigues, Jean da Silva, Marco Giorgi, Matheus Navarro, Nic Von Rupp, Ícaro Ronchi e o grommet Wallace Vasco, além de mais alguns amigos que dividiam o lineup conosco. […]

 

***

Revolution Board – por Felipe Siebert

[…] A alaia, na sua forma original, tem pouquíssima remada. Por este detalhe, exige bastante da parte física do surfista. Ainda somamos isso à necessidade de uma onda com certa qualidade e a dificuldade de disputá-las com outros surfistas. 

Então, se falta flutuação, basta fazê-la flutuar, correto? Por mais simples que pareça, passaram-se alguns anos sem que ninguém desenvolvesse a solução. Bastaria maior leveza e maior espessura para melhorar a flutuabilidade, o que seria impossível mesmo com a Balsa ou Paulownia na sua forma maciça – madeiras de confecção.

Recentemente, essas possibilidades começaram a aparecer em alguns países. Buscando leveza, uso de materiais menos processados e agressivos, somado às novas técnicas de fabricação. Esta vertente underground vem criando, nas pequenas salas de shape ao redor do mundo, algumas dessas novidades. […]

 

***

10 Perguntas com Wellington Cardoso – por Kevin Damasio

[…] Por que resolveu começar o projeto Surf no Alemão?

A ideia surgiu porque eu via a criançada ali em frente ao cinema no qual eu trabalho. Sou o gerente do cinema local lá no Complexo. As crianças ficavam até tarde na rua, sem perspectiva. Até que um chegou perto de mim, o Mateus. Me pediu ajuda em uma situação. Eu ajudei. Aí voltou no dia seguinte, chorando. Fez uma pergunta bem perspicaz, de difícil resposta. Daí eu falei com ele: “Cara, como é que tu tá na escola?” “Ah, tô indo bem.” “Ó, vou surfar sábado, mandei fazer uma prancha para mim. Tu quer ir comigo?” Ele quis. Meia hora depois, voltou: “Posso levar mais três?” Aí foram quatro no total, no primeiro sábado. E foi irado. Daí eu falei: “Poxa, tenho que fazer alguma coisa.” E partiu da ideia de começar a levá-los para a praia, de ônibus mesmo. Lá no Posto 6 da Barra. E foi tomando uma proporção. Vinham uns amigos pedir. Só que comecei a cobrar também os estudos, frequência nas aulas, boas notas no boletim, comportamento. Com o passar do tempo, comecei a fazer reunião com os pais, para tentar fazer esse link familiar. E aí a coisa começou a fluir e se tornou o que é hoje. […]

 

***

Saquarema de Elite – por Ryan Miller e Trevor Moran

Um Shots especial para cravar na memória a estreia de Saquarema no Circuito Mundial.

***

Christian Hosoi. Foto: Heverton Ribeiro

Posts Relacionados