Fiji Pro: carnificina de favoritos em Cloudbreak

Em condições difíceis, o terceiro dia de ação no Fiji Pro foi marcado por grandes zebras em Cloudbreak. Além dos brasileiros Wiggolly Dantas e Adriano de Souza (confira abaixo), os favoritos John John Florence, Kelly Slater, Mick Fanning e Jordy Smith perderam suas baterias no Round 3 e estão eliminados da competição.

As baterias do Round 4 já estão definidas: Ian Gouveia enfrentará Julian Wilson e Matt Wilkinson na primeira bateria do Round, seguido por italo Ferreira, que enfrenta Leo Fioravanti e Michel Bourez na disputa seguinte. A próxima chamada para o Fiji Pro acontece nesta terça-feira às 16h00 (Brasília).

ZEBRAS: favoritos varridos em Fiji

Com muita correnteza e ondas mexidas na casa do 1.5 metros, os tubos rodavam raramente, e os tops tiveram de apostar principalmente nas manobras na face. Depois de Michel Bourez tirar Fanning, o rookie italiano Leonardo Fioravanti encontrou o ritmo das esquerdas de Cloudbreak e emplacou uma série de pauladas de backside para protagonizar a primeira grande zebra do dia, contra o líder do Tour e atual campeão mundial, John John Florence.

“As ondas estavam difíceis, mas Leo estava quebrando”, disse o John John. “Eu não estava pegando as ondas certas. A seleção de onda é definitivamente importante e acho que isso é algo que preciso trabalhar. Estou começando a descobrir – nos últimos eventos – a escolher as ondas certas. Tive meus dois descartes para o ano. Eu acredito que as coisas vão melhorar bastante. Estou aprendendo muito, empolgado e confiante para J-Bay. Acho que será muito divertido”, completou o havaiano.

Na bateria seguinte foi a vez de outro rookie eliminar um top seed: inspirado pela vitória de Fioravanti, o francês Joan Duru garantiu o maior somatório do dia contra o vice-líder do Tour, Jordy Smith: notas 9.20 e 8.40 para não dar chances ao sul-africano, eliminado do evento em combinação.

Com a zebra instaurada no lineup de Cloudbreak, Kelly Slater enfrentou outro jovem competidor, o australiano Connor O’Leary. Apesar da experiência, nem Slater conseguiu se encontrar e a bateria foi definida nos detalhes, com notas medianas para os dois lados: O’Leary levou a zebra para frente – 10.74 x 10.34 pontos, e o 11x campeão mundial eliminado no seu pico favorito no Tour.

“Não havia muito o que fazer – eu tinha prioridade, estava no lugar em que queria estar e tinha a maior nota da bateria”, explicou Slater. “Eu passei a maior parte da bateria esperando por um 4.00, mas foi um dia complicado. Você tem visto outros caras experientes, que você espera avançar, perdendo. Tem sido uma dizimação do total dos cabeças de chave”, finalizou o campeão.

Na sequência, Joel Parkinson quebrou a sequência de zebras ao vencer o francês Jeremy Flores em bateria disputada e de boas ondas, e deu forças aos favoritos brasileiros que surfariam as duas baterias seguintes. Mas não foi o suficiente.

Mick Fanning vê o oponente Michel Bourez no caminho da vitória, na primeira bateria do dia em Cloudbreak.

BRASILEIROS ELIMINADOS: Mineirinho e Guigui fora

Na penúltima bateria do dia, Wiggolly Dantas enfrentou o havaiano Sebastian Zietz pela classificação. Com ondas semelhantes surfadas para os dois lados, a bateria acabou sendo definida nos detalhes. No final da disputa, precisando de 7.77 para virar, Guigui teve a grande chance, deu tudo de si, mas bateu na trave: 7.63 pontos e a eliminação no Fiji Pro.

Na última bateria do dia, após a eliminação de John John Florence e Jordy Smith, Adriano de Souza enfrentou Stuart Kennedy dependendo de uma simples vitória para assumir a liderança do Tour. Como de praxe, o brasileiro fez o máximo em condições difíceis e disputou com o australiano até o minuto final. Na última onda da disputa e atrás no placar precisando de 7.51 pontos para virar, Mineiro entubou seguido de um floater e uma bela batida na junção, mas não foi suficiente: nota 7.00 para o brasileiro, e mais um top seed eliminado em uma segunda-feira de carnificina em Cloudbreak!

A expectativa é que nesta terça-feira as ondas estejam menores em Cloudbreak, mas a organização espera pela chegada de um swell de intensidade no final de tarde. Na quarta-feira (no Brasil), as ondas devem alcançar os 4 metros de face em Cloudbreak e tudo indica show de surf para as finais do evento fijiano.

BRASIL EM FIJI: Italo Ferreira e Ian Gouveia seguem vivos

Com as derrotas dos paulistas Adriano de Souza e Wiggolly Dantas, o potiguar Italo Ferreira e o pernambucano Ian Gouveia, que se classificaram na segunda-feira da semana passada, são as esperanças de mais um título brasileiro no Outerknown Fiji Pro. Ambos derrotaram dois campeões nos tubos de Cloudbreak. O estreante na elite, Ian Gouveia, bateu um dos vice-líderes do ranking, Owen Wright. E Italo ganhou o duelo brasileiro com Gabriel Medina, que defendia o seu segundo título de campeão nas Ilhas Fiji.

Eles têm duas chances de classificação para as quartas de final. Ian Gouveia vai disputar a primeira vaga direta da quarta fase com os australianos Matt Wilkinson e Julian Wilson. Vice-campeão em Fiji no ano passado, Wilkinson é o único que ainda pode tirar a lycra amarela do Jeep WSL Leader de John John Florence, mas só se vencer o campeonato. Italo Ferreira entra na segunda bateria com o taitiano Michel Bourez e o italiano Leonardo Fioravanti. Nessa rodada, os derrotados se enfrentam nos duelos da quinta fase.

Outerknown Fiji Pro: Round 4

Ian Gouveia (BRA), Matt Wilkinson (AUS) e Julian Wilson (AUS)
Italo Ferreira (BRA), Michel Bourez (PLF) e Leo Fioravanti (ITA)

3 Joan Duru (FRA), Connor O’Leary (AUS) e Joel Parkinson (AUS)

4 Bede Durbidge (AUS), Sebastian Zietz (HAV) e Stuart Kennedy (AUS)