A primeira etapa do circuito Rip Curl Grom Search foi encerrada neste domingo (28) em grande estilo, fazendo jus ao mais tradicional campeonato de grommets do Brasil, com muito sol e boas ondas em São Francisco do Sul (SC). Dentro d’água, a molecada dava show desde cedo. Fora dela, as sensações variavam entre torcida e aflição. Torcida pelas razões óbvias – cada um por seus favoritos – e aflição por duas razões: uma delas, também óbvia, é a aflição competitiva, mesmo de quem não torce por ninguém. Foram várias baterias emocionantes e resolvidas nos últimos momentos. A competitividade corre no sangue da nova geração. E aflição também por vontade de entrar no mar: em pleno verão, todo o staff do campeonato babava pelas excelentes direitas que entravam, série atrás de série, juntas ao costão do canto direito da praia. Tanto no sábado quanto no domingo, foi uma corrida para o outside assim que soou a buzina encerrando a última bateria do dia (no domingo, na verdade, muita gente ficou para acompanhar a premiação, incluindo este que escreve. Sorte dos que caíram nessa hora).

A competição teve alguns nomes que cumpriram a expectativa e se destacaram durante todo o torneio. Dudu Motta, campeão da mirim (até 16 anos) foi um deles. Venceu o evento com um surf muito maduro, favorito desde a primeira onda da primeira bateria. Pode-se dizer o mesmo de Wallace Vasco, vice campeão da mesma categoria. Surfou de maneira inteligente em todas as variações do mar ao longo do fim de semana e venceu todas suas baterias antes da final.

Dudu Motta surfou muito desde a primeira onda e venceu o campeonato com autoridade.

Sophia Medina também entra nesse grupo. Nome mais badalado do evento feminino, venceu suas três baterias, incluindo a última, e saiu carregada por outra figura que desponta sempre como favorita, ainda que fora da água: seu pai e mentor, Charles Medina.

Outros nomes surpreenderam e adicionaram uma atraente tensão competitiva a quem acompanhava o evento. O principal deles foi Heitor Mueller. O heroi local não era muito conhecido fora de Santa Catarina – até agora. Levantou a torcida em todas suas baterias, arriscando manobras difíceis em sessões poderosas das ondas sempre que necessário. O desempenho foi recompensado com ótimas notas e a segunda colocação na categoria iniciante (até 14 anos). Na premiação, mesmo com o troféu de segundo lugar, Heitor foi disparado o atleta mais celebrado.

Heitor Mueller tirou as notas mais altas no sábado, conquistou o segundo lugar no sub-12 e levantou a galera na praia

Outro talento de Santa Catarina que chamou a atenção foi a vice-campeã do feminino, Lanai Henrique. A surfista da Guarda do Embaú protagonizou um final de bateria emocionante na decisão da categoria, quase conseguindo a virada para cima de Sophia Medina.

A participação de Caio Costa, vencedor da categoria iniciante, também foi, de certa maneira, surpreendente. Não pelos resultados em si, mas pela maneira como os conquistou, sempre arriscando muito, assim como Heitor. Na semifinal da categoria mirim, com competidores mais velhos, impressionou ao selar com maestria uma junção muito grande, manobra que alguns profissionais talvez preferissem nem tentar.

Eliminado nessa bateria foi outro surfista importante do evento. O carioca Cauã Costa foi um dos destaques da categoria mirim e volta de São Chico como um nome para ser guardado. Venceu com tranquilidade suas baterias até a semi, quando acabou eliminado pela ótima atuação de Caveirinha e pelas difíceis condições naquela hora – não achou uma onda boa em todo o duelo.

Quem também impressionou foi o vencedor da categoria mirim, Guilherme Fernandes. Mais um tutelado do Instituto Gabriel Medina (assim como Sophia e Caio, também campeões), tirou o único 10 do evento, na semifinal da categoria grommet. Ele também tirou um nove nessa mesa bateria e, na final, voltou a atropelar os rivais. Pode anotar o nome.

Acima de resultados e expectativas, o grande elemento a se destacar no Rip Curl Grom Search foi o alto astral durante toda a competição. Difícil de se apontar de maneira objetiva, ele estava lá o tempo todo: nos abraços e nas conversas entre os competidores, no empenho das equipes para ajudar como pudessem seus jovens talentos, na vibração da galera na praia e, acima de tudo, nas boas ondas proporcionadas pela Prainha. O evento agora segue para Búzios, onde acontece a segunda e derradeira etapa do circuito, nos dias 24 e 25 de fevereiro. Valeu, São Chico!

Direitas com um bom tamanho quebraram em todo o fim de semana na Prainha.

Resultados – Rip Curl Grom Search:

Categoria mirim – até 16 anos
Campeão – Eduardo Motta
2º lugar – Wallace Vasco
3º lugar – Kainan Meira
4º lugar – Caio Costa

Categoria feminina
Campeã – Sophia Medina
2º lugar – Lanai Henrique
3º lugar – Julia Duarte
4º lugar – Pamella Mel

Categoria iniciante – até 14 anos
Campeão – Caio Costa
2º lugar – Heitor Mueller
3º lugar – Sunny Pires
4º lugar – Gabriel de Souza

Categoria grommet – até 12 anos
Campeão – Guilherme Fernandes
2º lugar – Murilo Coura
3º lugar – Ryan Coelho
4º lugar – Davi Glazer

Confira mais fotos do último dia do Rip Curl Grom Search:

Visual da Prainha.

Sophia Medina, carregada após a vitória na final.

Caio Costa, o Caveirinha, campeão da iniciantes.

Caio Costa, Heitor Mueller, Sunny Pires e Gabriel de Souza no pódio da categoria iniciantes.

Sunny Pires, 3º lugar na iniciantes.

Guilherme Fernandes, dono da única nota 10 do evento.

Crédito fotos: Marcio David
Foto de capa: Dudu Motta, campeão da categoria mirim. Crédito: Marcio David