Momentos antes de uma queda – sejam dias, horas, minutos –, sempre bate aquela ansiedade para ver como o mar realmente está. As previsões de onda ajudam bastante a antecipar tamanho, período, direção e intensidade dos ventos, por exemplo.

Porém, há outro recurso que, se regulado especificamente para o pico onde cairá, permite tornar ainda mais preciso seu planejamento para a queda. E ele geralmente está no pulso do surfista: a tábua de marés, nem sempre compreendida e aproveitada por quem veste os relógios.

Claro, é sempre bom estudar as mecânicas da onda a ser surfada, e entre as informações incluam-se os dados lunares e a variação das marés. Se tiver um relógio com tais funções, basta configurá-lo corretamente.

Adriano de Souza, atleta G-Shock, está sempre com a tábua de marés atualizada no pulso.

O que é?

As forças de maré, ou forças gravitacionais diferenciais, ocorrem quando um corpo extenso entra no campo gravitacional de outro. No caso que interessa ao surfista, a Terra gera uma força de gravidade forte o bastante para fazer a lua girar em torno dela.

A força gravitacional da Lua, por sua vez, tem menor intensidade e gera movimentações, sobretudo, no oceano. Com isso, surge o fenômeno das marés, isto é, as alterações do nível das águas do mar.

Cada ponto da Terra recebe uma força de determinada intensidade, de acordo com a distância de tal ponto para o satélite terrestre, que varia conforme as fases lunares. As marés podem variar até 24h48 – o tempo de duração do dia lunar.

Quando a Lua encontra-se nas fases Nova e Cheia, as forças lunares e solares estão no mesmo sentido, portanto, a maré é mais intensa. Nas fases intermediárias, a intensidade diminui.

Se você já tiver um G-Shock G-7900, veja no vídeo abaixo como configurá-lo.

Como ajustar o relógio?

Primeiro, é necessário acertar seu fuso horário local. Depois, a longitude da cidade em que você está – ou, mais precisamente, da praia em que você surfará. Uma rápida pesquisa no Google lhe dará os graus exatos do lugar desejado, assim como a orientação oeste/leste.

Outro aspecto importante é regular o intervalo lunitidal. Nos manuais, geralmente há uma tabela com números das principais cidades, mas também é possível calculá-lo por conta própria. Pesquise o horário da passagem meridiana da Lua da região onde for surfar e marque o horário da preia-mar (maré alta) da seguinte.

A diferença entre os dois números será o intervalo lunitidal, essencial para calcular as marés com precisão. Além do mais, em relógios como o G-Shock G-7900, você pode não apenas ter a variação de maré do dia atual, mas também dos subsequentes – sem se desfazer das configurações estabelecidas.

Quando as informações estiverem ajustadas, aproveite as próximas quedas já sabendo de antemão quais serão os melhores momentos do mar. 

Mineiro e G-Shock se assemelham em pelo menos um ponto: resistência.

Tecnologia e design

Mostrador com informações sobre as condições da maré e um gráfico lunar que indica a idade e a fase da lua. Cálculos, que utilizam um algorítmo original da CASIO, permitem que os dados da maré e da lua sejam visualizados rapidamente e com precisão. Os modelos G-7900 e GAX-100 são dois novos e belos exemplos.


G-Shock Tábua de Maré
G-7900A-DR
R$ 729,00 na G-Shock Store

 

 

 

 

 

 

G-Shock G-Lide
GAX-100B-7ADR
R$ 899,00 na G-Shock Store