Francês Jeremy Flores se irrita com o uso da prioridade e abre o verbo contra o brasileiro Adriano de Souza. Confira o que rolou

 Por Felipe Fernandes

O paulista Adriano de Souza e o francês Jeremy Flores se envolveram em uma polêmica durante o duelo vencido pelo brasileiro, no terceiro round do Quiksilver Gold Coast Pro, evento de abertura do circuito mundial realizado na Austrália. 

Jeremy, local das ilhas Reunião, não gostou da atitude do brasileiro que usou a prioridade para tirá-lo de uma onda com ótimo potencial (11:10 do vídeo). O comportamento é comum entre os competidores, mas Jeremy, que acabou punido com uma interferência, se sentiu lesado. 

Na mesma bateria, alguns minutos antes, Jeremy usou da mesma tática para barrar o brasileiro (7:20 do vídeo). Na ocasião, Mineiro não pensou duas vezes e abandonou a onda antes de atrapalhar o adversário para evitar a punição. Já o francês, mesmo depois de ver a intenção do brasileiro de descer a onda, se aproximou demais e causou o choque. 

Mesmo com a preferência na escolha de ondas, o francês julgou a atitude como antidesportiva e fez questão de deixar isso claro através de um post no Twitter e na entrevista de backstage durante a bateria seguinte. 

“É triste perder assim. Ele dropou em mim, foi lamentável. Foi uma atitude antidesportiva. Eu não esperava nada dele. Precisar disso para vencer uma bateria é muito ruim. Aprendi que quando estiver numa próxima bateria contra ele eu devo remar sobre ele, devo usar meus cotovelos. Oh não! Quer dizer, talvez”, disse na transmissão ao vivo. 

Já no Twitter, Jeremy esbravejou: “Tudo que você precisa fazer quando tiver a prioridade é esperar pelo adversário e saltar sobre ele! Nova estratégia para o ano”. 

Adriano de Souza também deu uma declaração ao webcast, mas enxergou a situação de outra forma. 

“Nós temos uma rivalidade, mas Jeremy e eu somos bons amigos e muito competitivos. Nós começamos juntos nos eventos Juniors, ja tivemos muitas baterias juntos. Já venci e perdi muitas. Infelizmente houve uma interferência na nossa bateria. Eu vi o potencial naquela onda e sua primeira manobra muito boa. Eu sabia que era uma grande oportunidade para ele entrar na disputa, então usei minha prioridade, mas quando eu vi a prancha dele sob os meus pés eu senti que algo estava errado. Os juízes também viram e, infelizmente, deram uma interferência”. 

Vale lembrar que na mesma etapa em 2013, numa final com tubos clássico em Kirra, bancada alternativa do evento, Kelly Slater tirou o local Joel Parkinson de dentro de um tubo com potencial para alterar o resultado da etapa. 

E você, o que acha da situação?

Na próxima fase, Adriano encara o 11 vezes campeão mundial Kelly Slater e o australiano Josh Kerr. Os paulistas Miguel Pupo e Gabriel Medina também estão na no Round 4 do evento. 

Quarta fase

1 Taj Burrow (AUS), Fredrick Patacchia (HAV), Mitch Crews (AUS)
2 Mick Fanning (AUS), C. J. Hobgood (EUA), Gabriel Medina (BRA)
3 Kelly Slater (EUA), Josh Kerr (AUS), Adriano de Souza (BRA)
4 Joel Parkinson (AUS), Nat Young (EUA), Miguel Pupo (BRA)

Posts Relacionados